Marcação de consulta

Marcação de consulta
Marcar em www.hospitaldaordemterceira.pt e www.vitasana.pt

terça-feira, 8 de setembro de 2015

UMA HISTÓRIA DE VIDA E DE RENASCIMENTO

Um Novo Eu Com Muito Prazer

 

Cristina Pinto

 

 
37 Anos, Contabilista, casada. Vive em Sintra, com o marido, os 2 filhos, e Lobito (o seu cão).

Natural de Lisboa.


Antes
Depois
Altura: 1,63 m
Altura: 1,63 m
Peso: 85 Kg
Peso: 68 Kg
Índice de Massa Corporal: 32
Índice de Massa Corporal: 25,7
Massa Adiposa: 42,2 % - 35,900 Kg
Massa Adiposa: 32% - 21,760 Kg
Perímetro da cintura: 98 cm
Perímetro da cintura: 77 cm
Perímetro da Anca: 114 cm
Perímetro da Anca: 102 cm
Relação Cintura/Anca: 0,86
Relação Cintura/Anca: 0,75

 

 

Quando conheci a Cristina, ela era uma pessoa “apagada”, insegura com a sua imagem e que procurava passar despercebida. Vestia-se de preto, ou azul-escuro, e usava sempre roupas muito “largueironas” que lhe escondiam as formas.

 

A Cristina, era a única “gordinha” da família, o que contribuía para que se sentisse o “patinho feio”, apesar de ter um rosto lindo, emoldurado por um lindo cabelo. Quer os familiares maternos, quer os paternos, todos tinham um peso normalíssimo, não existindo história familiar de excesso de peso.

 

Na sua casa, quer o seu marido, quer os seus filhos, também sempre foram elegantíssimos, muito bonitos e atraentes, quase parecendo que “acabaram de sair da capa de uma revista”.

 

Para piorar a sua situação, como a Cristina já tinha feito muitas tentativas de emagrecimento sem êxito, os seus familiares já não a levavam a sério, quando ela se dispunha a tentar emagrecer novamente. Até o marido, a desencorajava de tentar, dizendo-lhe que não valia a pena, porque ela nunca conseguia cumprir nenhuma dieta. Tudo isto, contribuía para que a Cristina se sentisse ainda mais desanimada e frustrada.

 

A Cristina tinha sido submetida há 2 anos, a uma cirurgia de redução mamária, na qual lhe retiraram cerca de 3 Kg de massa adiposa (gordura). Durante 15 dias, antes da cirurgia, seguiu uma dieta líquida que lhe foi indicada pelo seu médico-cirurgião, com o intuito de emagrecer antes da cirurgia. A Cristina, refere que nessa altura perdeu cerca de 6 Kg, mas que os recuperou quase de imediato, no período pós cirúrgico.

 

Por trás deste “ar apagado”, fui-me apercebendo que existia uma pessoa muito sensível e inteligente, com um excelente sentido de humor, mas que fazia tudo para “que não a vissem”.

 

A Cristina tinha uma vida extremamente sedentária, pois é contabilista e passa todo o dia sentada à secretária. Deslocava-se sempre de carro, que estaciona o mais perto possível do sítio para onde se deslocava. No seu local de trabalho, usava sempre o elevador, e no seu prédio também, apesar de morar num rés-do-chão. Usava o elevador entre a garagem (-1) e o rés-do-chão!

 

Na primeira consulta, referiu que sofria de obstipação, chegando a estar 4 dias sem evacuar. Recorria frequentemente ao uso de clisteres e laxantes, desde há vários anos. Esta situação causava-lhe muito sofrimento, pois sentia-se com a “barriga inchada”, e tinha dores e flatulência frequentemente.

 

A vida da Cristina é muito preenchida, pois tem 2 filhos pequenos para cuidar (ambos com muitas atividades extra-escolares), um emprego que exige muito dela, a casa, a família, o marido, … Enfim, apesar de não se mexer muito fisicamente, mentalmente está sempre muito ocupada!

 

Vive em grande stress, pois o dia tem poucas horas para todas as tarefas que tem para realizar. Atualmente, o seu marido está desempregado, o que ainda contribui mais para aumentar o seu stress. Os seus pais também já são idosos, e têm algumas doenças, que a preocupam. A Cristina procura dar resposta a tudo e a todos, e da melhor forma possível, e “esticar” as horas do seu dia.

 

A Cristina adora comer, especialmente pão e salgados (merendas mistas, rissóis, croquetes, empadas e folhados de salsicha). Gosta muito de molhos à base de natas e maionese. Come o pequeno-almoço a correr, durante a manhã não come nada, só bebe café. Ao almoço, na maioria das vezes come só uma salada ou uma sopa. De vez em quando, não resiste e come um bitoque. No final do dia, regressa a casa esfomeada e enquanto trata dos filhos e prepara o jantar, vai comendo pão ou bolachas com chocolate. Ao jantar já não come, porque está “cheia”. Antes de se deitar, ainda come mais pão com queijo, manteiga ou fiambre.

 

A Cristina ingere muito mais calorias, do que as que realmente gasta. Faz uma alimentação com baixo teor de fibras, água e várias vitaminas e minerais. Come muito pouco durante o dia, e faz um elevado aporte energético a partir do momento em que regressa a casa.

 

Combinámos pequenas mudanças na sua alimentação, como por exemplo começar a comer várias vezes ao longo do dia, comer mais fruta, mais saladas e sopas de legumes. Também combinámos beber mais água, aumentar a presença de vários nutrientes laxantes na sua alimentação, comer uma refeição mais equilibrada ao almoço, e o que poderia comer sempre que se sentisse mais ansiosa.

 

Todas as mudanças foram graduais, e sempre baseadas na Dieta do Prazer. E a Cristina, foi descobrindo o prazer de se alimentar bem, comendo o que gosta, e emagrecer em simultâneo.

 

A Cristina nunca conseguiu evacuar fora de casa, controlando a vontade até chegar a casa. Esta situação é relativamente comum, e também contribui para agravar a obstipação, a flatulência, e aumentar a distensão abdominal, e o desconforto.

 

Combinámos que deveria “educar” os seus intestinos para que funcionassem sempre na mesma altura do dia, pois assim seria mais prático e funcional. Ao fim de cerca de uma semana, os seus intestinos começaram a funcionar regularmente, e começou a sentir-se menos “inchada”.

 

A melhoria do funcionamento intestinal, e o facto de ter deixado de necessitar de recorrer a laxantes e a clisteres, constituiu uma melhoria muito significativa, na qualidade de vida da Cristina. Passou a sentir-se bem, sem dores, e sem a tão terrível flatulência, que contribuía para que começasse a “inchar como um balão”, a partir do almoço.

 

Entretanto, conseguimos que a Cristina começasse a utilizar as escadas, e a andar um pouco, enquanto os seus filhos se encontravam a fazer atividades desportivas. Também arranjou um pequeno cão, que passou a ser um companheiro de caminhadas, e de brincadeiras em família. Todos ficaram a ganhar!

 

Ao fim de algumas consultas, a Cristina começou a renascer para a vida! Lembro-me com muita alegria, de quando me entrou no consultório, vestida com uma t-shirt branca e umas calças de ganga. Foi um grande passo! E estava lindíssima, segura e muito elegante.

 

Já passaram quatro anos, desde que a Cristina atingiu o seu “peso de saúde” com a Dieta do Prazer, e quando vem à consulta de manutenção, está sempre muito bem. Continua a aplicar tudo o que tem aprendido ao longo das consultas. Tem mantido a sua composição corporal, e está muito saudável, segura e bem-disposta.

 

Parabéns Cristina Pinto! Ganhou saúde e prazer de viver, que se refletem na sua relação com o mundo e na sua qualidade de vida.

Fonte: Texto retirado do Capítulo 10 - UM NOVO EU COM MUITO PRAZER do livro A Dieta do Prazer- Emagreça a comer aquilo de que gosta. Eduarda Alves. Editorial Presença. Conheça aqui o livro que a ajuda a emagrecer com prazer


Acompanhe todas as novidades no Facebook

Cumprimentos vitaminados,
Eduarda Alves.

Dietista – Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas
 
 

Copyright: © By Eduarda Alves, 2015. Todos os direitos reservados. Proibida qualquer reprodução.