Marcação de consulta

Marcação de consulta
Marcar em www.hospitaldaordemterceira.pt e www.vitasana.pt

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Acompanhamento nutricional antes e durante a gravidez

Esta é uma fase muito importante na vida das mulheres que requer vários cuidados, principalmente com a alimentação. O aconselhamento nutricional/dietético, antes e durante a gravidez, é de extrema importância, visto a saúde do bebé depender da alimentação da mãe, devendo esta garantir-lhe os nutrientes na quantidade, qualidade e proporções adequadas para o seu crescimento e desenvolvimento.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a "Assistência Pré-Natal" é um conjunto de cuidados médicos, nutricionais, psicológicos e sociais, destinados a proteger o binómio feto/mãe durante a gravidez e parto, tendo como principal finalidade a diminuição da mortalidade materna e perinatal.
Todas as mulheres que pretendam engravidar deverão receber orientação nutricional/dietética cerca de 4 a 6 meses antes da concepção, ao longo da gravidez e após o parto. Desta forma serão evitadas carências nutricionais, melhorado o estado nutricional da mãe e, sempre que possível, iniciada a gravidez com o peso adequado
(normoponderal), repercutindo-se beneficamente na saúde da mãe e bebé. Esta orientação deverá ser individualizada, indo ao encontro das múltiplas especificidades possíveis (antecedentes pessoais, antecedentes familiares, idade, parâmetros antropométricos, parâmetros analíticos, actividade física, …).
Durante a gravidez a alimentação da mulher deverá garantir a energia, macronutrientes e micronutrientes, necessários para assegurar todas as transformações orgânicas e funcionais que se dão durante esta fase da vida, como por exemplo o aumento do volume de sangue, aumento do útero, aumento das mamas, acumulação de reservas de gordura para a amamentação, aumento do tamanho e actividade do coração, o aumento da actividade da tiróide e a formação, desenvolvimento e crescimento do feto.
Para além da alimentação variada, equilibrada e nutricionalmente adequada, é necessária suplementação em ácido fólico alguns meses antes da concepção, mantendo-se durante a mesma na dose necessária para essa fase.
O ácido fólico intervêm na formação, crescimento e desenvolvimento dos tecidos, especialmente do tubo neural do embrião (futura medula espinhal e cérebro). (Czeizel AE, 1993) A suplementação previne o aparecimento de várias malformações, como por exemplo a espinha bífida. Pode ser encontrado em alguns alimentos como os brócolos, nabiças, agriões, couves - de - bruxelas, avelãs, amendoins, levedura de cerveja e gérmen de trigo.
As necessidades de ferro aumentam devido ao aumento do volume plasmático sanguíneo e ao transporte activo de ferro para o feto através da placenta. Alguns alimentos ricos em ferro são a carne, peixe, ovos, cereais, legumes, hortaliças, levedura de cerveja, flocos de aveia, fruta e leguminosas.
As necessidades de cálcio são atingidas com a inclusão de 3 a 4 porções de leite e derivados na dieta materna. O cálcio é essencial para a formação dos dentes e dos ossos. A sua carência aumenta o risco de depressão pós parto recém-nascido de baixo peso, HTA grave durante a gravidez, pré – eclâmpsia. Pode ser encontrado em alguns alimentos como leite e derivados, frutos secos, sardinhas em conserva, leguminosas, legumes, hortaliças e cereais.
Se a alimentação for adequada, raramente será necessário tomar suplementos de outros nutrientes (excepto o ácido fólico e o ferro), pois serão veiculados através da alimentação.
Durante a gravidez ocorre um aumento da actividade da tiróide, sendo necessária a presença de iodo na alimentação da grávida, pois se esta for carente neste mineral poderá provocar aborto espontâneo, hipotiroidismo e influenciar o desenvolvimento cerebral do feto. (Negrini, Luciene, 2001) Existe em alguns alimentos como por exemplo no peixe, algas, moluscos, ovos, leite e cereais.
No decorrer da gravidez ocorrem uma série de processos que implicam a formação de novos tecidos, como por exemplo a formação, crescimento e desenvolvimento do feto, a formação da placenta, o crescimento do útero, … Para que todos estes processos ocorram da melhor forma, a grávida necessita de um maior aporte de proteínas na sua alimentação. Especialmente a partir do 2º trimestre. As proteínas podem ser fornecidas através de alguns alimentos como a carne, peixe, ovos, leite e derivados, leguminosas e cereais...

Veja o artigo completo em http://www.nutricaoedietetica.com/artigos.html

Dra. Eduarda Alves.
Directora da Clínica dos Alimentos
Dietista no Hospital São Francisco Xavier

.


.